segunda-feira, 23 de abril de 2018

MEMÓRIAS DE UM MILITAR DE ABRIL (I): OS ANTECEDENTES





MEMÓRIAS DE UM MILITAR DE ABRIL DE  VÍTOR PÁSSARO: OS ANTECEDENTES

Ao integrar um grupo de jovens que, no Barreiro, procuravam desenvolver um conjunto de actividades que permitissem uma consciencialização política mais desenvolvida, fui ganhando a noção de que da discussão e análise dos problemas que afectavam o país antes da queda da ditadura, e em particular os jovens, pontificava o fim do regime e da guerra colonial.


O fim da guerra colonial, só possível com a queda do regime fascista, era o que preocupava grandemente os jovens em idade de terem que entrar nas fileiras e, não raro, as preocupações centravam-se na formação militar após a recruta, que era tema de conversa quase obrigatória entre todosos que se encontravam nesta situação.

Para além disso, o ingresso no Serviço Militar Obrigatório (S.M.O.) e a eventual partida para a frente de guerra, era um obstáculo grande que se punha na vida profissional ou de estudante de quase todos durante um período de cerca de quatro anos.


Ingressei no S.M.O. em 17 de Julho de 1973 no Destacamento da Escola Prática de Cavalaria (E.P.C.), em Santarém, onde fiz a recruta como instruendo do Curso de Sargentos Milicianos (C.S.M.). As memórias desse tempo não são as mais agradáveis, desde logo pela mudança radical que a minha vida, tal como a de milhares de jovens, sofreu. As instalações onde os recrutas estavam alojados eram muito desagradáveis já que as camas estavam equipadas com “modernos” colchões e almofadas de palha, os “armários eram pequenos caixotes de madeira que se guardavam debaixo das camas e os beliches estavam permanentemente providos de percevejos que nem os insecticidas que levávamos de casa conseguiam exterminar por completo. No refeitório, as mesas eram de pedra e com um aspecto tenebroso mas, em contrapartida, a parada interior devia estar permanentemente limpa. Retenho o episódio de o Tenente Migueis me chamar para que retirasse um  “barrote” (feito pau de fósforo) do seu caminho para que pudesse passar.

 Quero referir que nunca percebi em que é que este tipo de atitude por parte de alguns oficiais possibilitaria uma melhor formação de âmbito militar. Também a qualidade da comida era sempre posta em causa e tivemos a oportunidade de fazer um levantamento de rancho no dia em que a dobrada cheirava a merda. Chamado o comandante do Grupo de Instrução, Capitão Tavares de Almeida, fomos todos ameaçados com fins-de-semana cortados, mas por fim acabou por reconhecer que tínhamos razão e mandou fazer uma refeição rápida para todos.
 
Terminada a recruta , seguiu-se a especialidade, transmitida, após grande expectativa, pelo comandante de pelotão e lá segui para Vendas Novas para a Escola Prática de Artilharia (E.P.A.), onde frequentei a especialidade de P.C.T.-Posto Central de Tiro. As instalações na unidade não eram comparáveis com as do Destacamento da E.P.C., pois as camas tinham colchões e almofadas de espuma, armários metálicos para cada um e as mesas do refeitório, sendo de tampo de pedra, tinham toalhas plásticas a cobri-las. Recordo-me de um camarada dizer que parecia que estávamos num hotel, por comparação com a unidade de Santarém. Naquela altura, o comandante do Grupo de Instrução era o major Oliveira, mais tarde comandante do Regimento de Comandos e um dos oficiais instrutores era o Tenente Andrade da Silva, que ministrava técnica de combate e minas e armadilhas, entre outras. Na época, a E.P.A. era conhecida como os Comandos do Sul, tal o rigor da instrução. Concluída a especialidade em Dezembro/73, fui colocado na E.P.A. e na Bateria do Capitão Duarte Mendes, transitando mais tarde para o Grupo de Instrução já sob o comando do tenente Jesus Silva, de quem fui seu adjunto.


Com o passar do tempo vamos estabelecendo contactos com outros militares e foi assim que em contacto com o Furriel Sequeira íamos falando sobre a situação política e as perspectivas que o futuro nos reservava, enquanto militares, em função da especialidade de cada um.



  É então que chegamos ao 16 de Março de 1974, conhecido como o golpe das Caldas, tendo a E.P.A. entrado de prevenção como consequência da iniciativa daqueles militares. Recordo-me que, pela entrada da noite, estava a conversar com o Furriel Sequeira na parada interior e em frente ao bar de sargentos, sobre o ocorrido, quando se aproxima de nós o Tenente Andrade da Silva. Perguntámos -lhe o que se estava a passar, pois falava-se na possibilidade de um golpe de extrema-direita dirigido pelo General Kaúlza de Arriaga, mas a abertura do Tenente não foi grande, nem dando qualquer informação sobre o que deu origem aquela iniciativa militar, (compreensível porque a Pide ainda existia) mas sempre comentou que “vinha observar o estado de espírito dos Furriéis”. 


Vitor Pássaro

Furriel-miliciano em Abril de 1974


                                  ABRIL VIVO!

 PS:  No dia 25 Abril 74 estarei na cerimónia da Câmara  de Vieira do Minho a Evocar o Glorioso e Vitorioso 25 de Abril 74.

No dia 21 estive nas Caldas com o patriotca  e empenhada Associação MVC : Movimento Viver o Concelho - um momento extraordinário de VIVER ABRIL HOJE. Um grande bem- Haja a todas e todos particularmente à Dra. Teresa Serranho ao meu antigo camarada de armas em Vendas Novas Serranho e ao Dr. Paulo Morais que mediou este encontro

No dia 20 estive na Escola Básica de À dos Loucos/ Alhandra com crianças com um comportamento de muito felizes e bastante conhecedoras de muitas realidades um Bem- haja ao Bento,homem incansável que promoveu este encontro, às professora da Escola,  ao meu camarada Borges que nos deliciou e encantou com a sua voz de tenor e à Mel Besuga pela sua companhia.

No dia 25 de Abril 2018, o Jornal de Noticias, através da Jornalista Helena publicará uma entrevista minha sobre o 25 de Abril. Seria bom ,não por mim, mas pelo facto que comprassem o jornal nesse dia e sempre 


                             








sexta-feira, 20 de abril de 2018

EVOCANDO ABRIL

NO REGRESSO DO PRAGAL PARA VENDAS NOVAS   - A FESTA (Esta foto é a prova acabada de quanto este dia era esperado e foi festejado pelos militares.)

·
REGRESSO A UM LUGAR HISTÓRICO PARA FALAR DE ABRIL - CALDAS DA RAINHA

Associação MVC - Movimento Viver o Concelho

dia 21,pelas 21h na junta de freguesia de Nª Srª do Pópulo -Caldas
Foto regresso a Vendas Novas: A festa dos militares em que o Serrenho e a sua mulher Teresa são promotores desta iniciativa, através da Associação MVC. 

 Bem-Hajam e ao Dr. Paulo Morais que mediou este encontro.

Com Abril,de Abril e por Abril> pela Democracia,, O Estado de Direito , a Liberdade e a Dignidade -SEMPRE!



ELES ESTIVERAM LÁ:  NO CRISTO REI À HORA CERTA:



                                              FURRIEL MILICIANO PÁSSARO


                                                    CABO MILICIANO (a)DO SMO  SERRENHO

OFICIAIS, SARGENTOS E SOLDADOS DO SMO,  DA EPA ,ESTIVERAM TODOS OU NO CRISTO- REI, OU EM VENDAS NOVAS A FAZEREM ABRIL  
VIVAM!.

(a) A história dos cabos milicianos é uma ACUSAÇÃO ao regime salazarista e marcelista de uma gravidade extrema, era um mero abuso inqualificável..Estes militares desempenhavam todas as funções de sargentos , tinham os deveres de sargentos, mas recebiam o pré de insulto das praças. bem como,   quanto aos restantes direitos. Uma descriminação negativa intolerável e inaceitável..
                             

quinta-feira, 19 de abril de 2018

O Algoritmo- Mestre



A nossa história é a procura de nós próprios e do deus que, eventualmente, nos criou 


Transformar tudo em ouro já é possível para uma ínfima minoria e, não tarda muito, pelo menos para esses, será possível a vida ad eternum. Ojectivos antigos, ainda do tempo da alquimia.


Andamos agora em busca do Algoritmo-Mestre (A_M) que não deixa de ser o toque de Midas da Inteligência Artificial , isto é, este A_M condensaria em si todo o conhecimento, mesmo o  que ainda não possuímos.


Para tal usaremos métodos ditos cerebrais e outros analógicos ou evolutivos, sendo que os primeiros serão utilizados no sentido de preparar as máquinas para, pela introdução de biliões de dados e com a ajuda do segundo método nos irem fornecendo sucessivos algoritmos que, por mera comparação e iteratividade, nos fornecerão finalmente o próprio A_M.


Isto é o que o professor Pedro Domingos chama uma Academia Militar para robôs. Podia ser uma Escola ou Universidade mas não ( deve ser aquela coisa da praxe: infra não pensa, obedece). Isto é vão-se injectando dados e sem pressa de tirar conclusões.  As  conclusões relativamente ás analogias observadas pelas máquinas chegarão com o tempo, fornecidas por elas próprias.


Se duas coisas são semelhantes a ideia de uma trará a outra como dizia Arquimedes, e não gastes tempo e cérebro em vão, isto é,não faças hoje o que podes adiar, o contrário do que  a tua Avózinha te aconselhava.


Nesta busca existem várias teorias e escolas de pensamento( no caso cinco diferentes) que se pretendem unificar. Uma espécie de nova teoria das cordas? A teoria das cordas pretendia chegar a uma teoria quântica da gravidade e unificar todas as forças e a matéria e durante alguns anos povoou espaço de comunicação e sonhos de muita gente.



Há cerca de dezoito anos foi publicado em Portugal um livro fora de série, ao mesmo tempo difícil de ler e cuja leitura nos torna dependentes. Chama-se “Gödel, Escher e Bach”- Laços Eternos e diz-se uma fuga metafórica sobre mentes e máquinas no espírito de Lewis Carroll.

Como é que um ego pode emergir duma máquina?


O que é que tem de semelhante a matemática de Gödel e o seu teorema da imcompletude( também demonstrou que a democracia contém em si o gérmen da sua destruição), as voltinhas estranhas dos desenhos de Escher ou certas repetições na música de Bach.


Este livro foi essencial para começar a compreender a maior parte do que estes cérebros da era digital referem.


Tudo é ao mesmo tempo realidade e engano, clareza e sombras, sol e névoas tipo “Zenão e a Tartaruga”, o que parece uma metáfora da vida actual.


Apesar de eu achar que o mais importante está tudo naquele livrinho pequeno chamado “ A morte de Ivan Illich”


José Lameirinhas

PS: Ao postar este texto do meu camarada Lameirinhas, capitão de Abril  de sempre, só posso confessar o meu deslumbramento por nesta síntese fazer uma previsão mui luminosa  do porvir.


segunda-feira, 16 de abril de 2018

O CASO DO CONCIDADÂO SÓCRATES- DEFINE PORTUGAL?





Depois de ver a reportagem  da SIC sobre o caso do concidadão Sócrates  - VOMITEI!

 ONDE ESTAMOS?

 UM COMPLETO VÓMITO. UMA TOURADA. CENA DE MANICÒMIO OU DE UM INOCENTE REVOLTADO?

 Afinal perante esta cena dantesca de podridão o que conta que um doente dA ADSE (e resta saber se ADM) fique apeado porque o pagamento do transporte  do respectivo serviço dos bombeiros custa  64€ dia, que é 200% mais do vencimento médio de um funcionário... logo

Não sei em que tempo estou, nem em que país: Sinto-me perplexo num MANICÓMIO e nem sei bem quem são os psicóticos, ou quem esteja num estado mental considerado normal.

 Como licenciado em psicologia clínica vejo graves sintomas psicossociais nestas cenas,  e mais grave a TOLERÂNCIA dos portugueses a este teatro negro, como?

Enojado. por estes andaimes antevejo a morte da democracia. 


andrade da silva 

sábado, 14 de abril de 2018

HUMANOS - FIM DO GENOCIDIO NA SÌRIA:!




Sei que a burguesia global:  civil e militar -  os príncipes pseudo republicanos -  infestada pelo cancro da desumanidade só lêem o discurso pontuado à David Mourão Ferreira,  esquecendo-se  que Saramago foi prémio Nobel da literatura, com todo o seu desconcerto nas virgulas e pontos,  e Mourão Ferreira,  não, nem o nome de David lhe deu  o condão dessa estrela. 

Todavia, contra a douta burguesia que não me convence: gosto mais de água das torneiras do que de bebida alcoólica  cara, ( garrafa de vinho a 200€ pagos pela ... é obra, mas figura nas contas ,etc.etc. ) e, ainda, mais do discurso nobre, verdadeiro e tosco do que das peças escritas tortuosamente para  servirem castas imorais e parasitárias-  DIREI:


Basta de discursos. confabulações, cinismos e hipocrisia. O que está em curso na Síria e Médio Oriente são genocídios com DNA  NEO OU PÓS -NAZI, consentidos por todos com variantes de um mesmo  discurso sectário.  cúmplice, subhumano.

À HUMANIDADE só resta um caminho condenar esses senhores das guerras, e pôr termo ao genocídio  da população Síria, Palestina e outras.

O nosso NÃO E CONDENAÇÃO pelas mortes que Americanos, Russos, Iranianos , DASEH . Israel, Arábia Saudita , Assad provocam  entre inocentes:  crianças e civis, para obterem hegemonia politica, militar e económica numa zona excessivamente rica em Petróleo.

As armas quimicas são um pretexto bárbaro . A primeira causa destas tragédias foi a guerra preventiva de Bush no Iraque, então, a comunidade internacional tudo consentiu, e Portugal , através de Durão Barroso, esteve ao lado deste CRIME CONTRA A HUMANIDADE,  com uma oposição frágil, para inglês ver, do Presidente da República, Jorge Sampaio, que não permitiu a intervenção das Forças Armadas, mas  permitiu o envio dos militares da GNR,  outras forças armadas,  mais profissionais e mais bem armadas que as verdadeiras Forças Armadas. GNR também comandada por Generais do Exército que tudo consentiram. E também , no terreno tiveram militares portugueses como observadores, o que, um  camarada de Artilharia relata com todas as letras num número da revista Artilharia, mas como??? INVESTIGUEM, mas... ninguém sabe nada, nem o povo -  nós, nem os partidos, ou seja -  eles!

EIA!

OU SOMOS  CÚMPLICES, ou   os que falam são fuzilados civilmente por todos os que sem moralidade , recolhem dividendos, ou seja, poder repartido  por parlamentares ,  corporações, partidos etc. desta situação, que os gratifica com   milhões de euros, para dizerem   e convencerem  os tolos que julgam que somos, que o ponto onde estamos é o melhor possível, logo,   suficientemente bom, e. assim, compram ou convencem os demais, perante a morte real de muitos generosos obreiros e militares de Abril  que tão precocemente partiram; ou  também porque outros  mudaram DE PRIORIDADES, e, por tudo isto, os terreiros das lutas guiados pela bandeira da Humanidade  estão despovoados-  JÁ NADA SÃO e a  tantos coveiros dos povos e da Humanidade  tudo  consentimos... até...

MAS A HUMANIDADE, MAIS TARDE, OU MAIS CEDO, NOS INTERPELARÁ.

E QUE DIREMOS COM A VOZ DA NOSSA AUTO-CONSCIÊNCIA TRANSPARENTE, LIMPA E HERÓICA ..... OU MURMÚRIO NEGRO, DE LUTO, COBARDE E VOMITADO ????

andrade da silva

GUERRA NA SÍRIA e NO MUNDO?????








A FATALIDADE ÓBVIA ESTÁ A ACONTECER. E AGORA?


SR.PRESIDENTE;PORTUGUESES-  PORTUGAL ESTÁ NA GUERRA? COMO????

O Mundo, a ONU, a comunidade internacional e nós., onde estamos?

Diz-se, por aí, que o Governo Português compreende este ataque, mas não seria melhor usar a sua pequena-grande influência para acabar com as guerras cruzadas na Síria, Médio Oriente e pelo mundo.

Mas onde pára o Secretário Geral da ONU, estará a tirar uma foto com ...?

E as armas químicas serão de quem ?

O presidente da República e o governo não têm dúvidas que as bombas assassinas e criminosas são do governo Sírio, mas o BE não parece ter a mesma informação e certeza.logo??????

Mas a Síria diz que os misseis não fizeram estrago OUTRO,, que não fosse aos cofres dos EUA. França, Canadá e Inglaterra. Se sim como fica a posição desta coligação que age a leste de um mandato internacional,logo uma pura agressão.. logo, como pode o governo Português isolar e bloquear a acção forte e imperativa do Secretário Geral da ONU- um português?


E, como é habitual, ( informação,contra-informação) os EUA declaram que o sucesso foi total.

O insucesso total é para a humanidade, para nós,ponto.


Entretanto, estamos num faz de conta de morte e nojo com centenas de milhares de mortes: um puro jogo de guerra imoral e genocida no Mundo e no Médio Oriente com muitos autores e actores, na completa e total ausência da Humanidade e dos povos do Mundo.

Todavia, o que é imperativo é terminar com esta guerra que é um Genocídio. com muitos autores e actores, sem inocentes,

 andrade da silva

"ALEMBRANDO": https://liberdadeecidadania.blogspot.pt/…/o-estado-muito-pe…

PS: O Jornalista de serviço do Courrier   Internacional diz que espera do seu antigo professor Guterres uma Grande Intervenção?????????

quarta-feira, 11 de abril de 2018

O ESTADO MUITO PERIGOSO DO MUNDO??????



https://www.rtp.pt/noticias/mundo/estados-unidos-prontos-para-intervencao-militar-na-siria_a1069391?utm_source=RTPnoticias&utm_medium=Plista



REGRESSO AO ESTADO POLITICOPATOLÓGICO DE QUE NUNCA SAÍMOS COM UNS APÊNDICES: SÍRIA. DAESH,TURQUIA;IRÃO, ISRAEL ARÁBIA SAUDITA.

Eia:

O Estado do Mundo!

Mas onde pára a comunidade internacional, a União Europeia, a ONU,Portugal ,nós e os povos do Mundo? Onde estamos todos,a fazer o quê,ou à espera de quê, de um conflito armado, ou outros de dimensões incomensuráveis?

Não somos INOCENTES: muitos defendem a matança se for de um lado;outros se for de outro,porém a matança na Síria, ou em outra qualquer parte do Cosmos, é um crime contra a Humanidade que devia ser condenada pelos países e povos que não tenham as mãos sujas de sangue,petróleo e milhões de milhões, de nota, mas onde páram, deveriam estar na ONU, mas lá não estão? Logo... QUE FUTURO??????????

Andrade da silva, coronel na situação militar de reforma.licenciado em sociologia e psicologia,militar de Abril