quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

NOJOS QUE SINTO.




SINTO NOJO:

Por este Estado permitir que organizações totalitárias amordacem a voz e o pensamento livre dos cidadãos

SINTO NOJO:

Por este Estado abandonar idosos, inválidos e incapacitados à sua sorte.  Morram por aí, ou por ali - sua "peste grisalha", ou peste de inúteis -MORRAM OU SUICIDEM-SE"!

SINTO NOJO:

Por este Estado abandonar, florestas, povos e gentes aos incêndios  e a mortes horrendas,  irreversíveis.

SINTO NOJO:

Por este Estado abandonar  o povo à morte por falta de fiscalização a casas de espectáculos, cinemas, associações etc.

SINTO NOJO:

Por este Estado permitir  que tantos portugueses morram nas estradas, por deficiente fiscalização,  etc e brandura na condenação  das mortes que muitas vezes deviam ser julgadas e punidas como homicídios por negligência, no mínimo,  e com prisão efectiva.

SINTO NOJO:

Por este Estado mistificar, mentir e simular de tal forma que nunca se sabe a verdade sobre a situação das instituições sejam as de saúde, sejam as de educação, sejam as de segurança, sejam as  da protecção civil. 

SINTO NOJO:

Pela impunidade que as leis deste Estado permitem a poderosos, banqueiros  e outros, que, apesar dos danos que causam à Nação, nunca, antes de  decorridos 30 anos, serão julgados e, muito pior, condenados.

SINTO NOJO:

Por este Estado não desenvolver o país, e continuar a ser injusto e cruel para os  pseudo-ricos  que, fora da vida activa, em 2013,  com o mesmo rendimento de 2012, foram TORTURADOS  com o brutal aumento de 10% do ISR,  pela sentença de pena de sofrimento  lento desse sinistro senhor Gaspar 

E,  AINDA, UM  NOJO SUPERLATIVO porque, de um dado modo, como fiéis sacrários da alma de  Salazar, quedos, mudos e mortos aceitamos a totalidade, ou partes desta desgraçada BULA DO NOJO.

SINTO   UMA PROFUNDA E TOTAL  DOR E TRISTEZA por este continuado luto e nojo em que vivemos, há tantos e tantos anos,  com pequenos sóis de vida, como aconteceu ontem, em que uns jovens académicos propõem-nos - PENSAR A DEMOCRACIA!

Meu Eterno Abril matam-te....

andrade da silva

                       LIBERDADE, JUSTIÇA, DIGNIDADE

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

ALERTA HOJE EU, AMANHÂ OUTREM ,DEPOIS ... A SUÁSTICA...



               PORTUGAL ONDE ESTÁS?

ALERTA!

HOJE EU, AMANHÂ OUTREM ,DEPOIS CHEGARÁ A TUA VEZ e, então, já será tarde,tarde demais...

VEDE


Os que pugnam pela liberdade,pela moralidade e pelo direito como eu,podem verificar que na minha pagina de facdebook, como EM TUDO O QUE ESCREVO não há nenhuma expressão de mata este,mata  aquele ou de gatuno este ou oeste, nem nenhum boneco de sexo explicito,nem nus, nem lésbicas nem nada. Nem tão puros são os textos do Papa Francisco, como o podem verificar, logo porque se permite o ACTO FASCISTA, interpelo governos e concidadãos? 

E ????????

A pagina em questão VEDE : https://www.facebook.com/joao.andradedasilva



 PUNIÇÃO FASCISTA À NORTE COREANO OU DA  CHINA, QUIÇÁ À PUTIN E TRUMP. Aceite brandamente em Portugal por governantes e concidadãos-PORTUGAL  2018!



          Punição fascista  de 3 dias de bloqueio
          
         Recentemente, publicaste algo que desrespeita as políticas do Facebook, por isso o teu acesso a esta funcionalidade está bloqueado temporariamente. Para saberes mais, visita o Centro de Ajuda.

Para evitares um novo bloqueio, certifica-te de que leste e compreendeste os Padrões da Comunidade do Facebook.
Este bloqueio vai estar ativo durante mais 1 dia e 9 horas


Mensagens para a administração do facebooK

 1ºº mensagem 

Julgo que há um sistemático bloqueio por violação de regras que não estou a violar. Uma das fotos que referem é de um meu camarada, outra da AR editada,  outra de uma flor, uma margarida à noite. Não entendo. Cumprimentos. joão Andrade da silva 

2ª Mensagem 

Mas quais são essas  fotos : a do  meu camarada  militar Dorbalino,a da Assembleia da Republica editado por todo o lado,  a foto da flor margarida, a da bandeira Nacional num castelo ? Li  as vossas instruções e não vejo o motivo .  De qualquer modo eliminei essas fotos nos últimos textos. Julgo que há um acto de censura que não entendo .Não há da minha parte nenhuma atitude de violar qualquer regra racional ou moral ou outra.   Cumprimentos joao andrade da silva



3º Mensagem

 Muito embora considere que há um grave erro de avaliação que pode estar a ser provocado por um outrem,um 3º que, de um modo abusivo,  numa atitude de verdadeiro assédio  social  totalitário  de   perseguição,  retirei as fotos e onde não foi possível as fotos e os textos referentes ao meu camarada militar recentemente falecido  Dorbalino. A sua foto é a única que possuo e o objectivo do texto é honrar a sua memória, como tem sido compreendido por centenas de cidadãos num blogue, logo, há algo de sinistro neste comportamento de punição completamente à margem da Constituição Portuguesa que volto a evocar, porque como  militar de Abril lutei pela liberdade e por esta Constituição, e espero que as autoridades portuguesas CUMPRAM  E FAÇAM CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO, porque nos seus termos as liberdades e garantias dos cidadãos consagradas na Constituição são consideradas CONSTITUCIONALMENTE com a força vinculativa da lei  ordinária Cumprimentos andrade da silva


4º Mensagem

  Continuo a considerar que o bloqueio que me fizeram é um mero acto prepotente de verdadeiro assédio politico, social  contra a liberdade e os  direitos  constitucionais dos cidadãos portugueses, a que o facebook está obrigado até porque se considera a si mesmo como um prestador de um serviço público, como  o é, e para exercer este serviço tem de respeitar os direitos constitucionais dos cidadãos,o que,  no meu caso não está a acontecer, porque CUMPRO TODOS OS CÓDIGOS de ÉTICA E CIVILIZACIONAIS  do MUNDO DEMOCRÁTICO e os do Facebook, logo, é um acto  gratuito de pura censura, violando a Constituição Portuguesa Com os meus cumprimentos 15 Janeiro 2018 joão António Andrade da silva

Tenho denunciado entre muitos este acto de puro fascismo,mas...

Algum apoio jurídico seria fundamental.......

ENFIM...

andrade da silva


segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Gloria Machado Poeta CANTA O ABRIL VIVO.







ABRIL VIVO

IMATERIAL

ETERNO!


Abraços

Andrade  da silva

domingo, 14 de janeiro de 2018

UMA LÁGRIMA PELO POVO DE TONDELA!





Como, porquê?

PORQUÊ? PORQUÊ?

      PORQUÊ?????

Uma lágrima!

Abraço-vos 

João

PS :  E há muitas interrogações.????

  Para além das lágrimas ,dos afectos e das campanhas de fundos,  há o  amor  real e o respeito pelas pessoas, os direitos e DEVIA HAVER - ESTADO.mas.... coisas.... 
Choramos e as lágrimas tudo lavam .

Bem-Aventurado sejamos -  Povo Português!.....

Choro com dor os mortos  -Povo.. Porquê? Mas Porquê??????

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

DORBALINO ATÉ DAQUI A INSTANTES- A ETERNIDADE!




O Dorbalino partiu ontem,  daqui, do Planeta Azul   para o Cosmos.   O nosso até já.




Ao Dorbalino

Querido amigo Dorbalino ou, melhor dizendo, “Durbas”, desde que o Manaires te batizou e tu adotaste a nova identidade.

Finalmente chegámos a Larinho. Que dizes irmos até ali ao café do Sr. Eugénio ouvir mais umas histórias das tuas? Das que tu quiseres contar, pois não há risco de repetires a mesma duas vezes. Tu sabes tudo, não esqueces nada e conheces toda a gente; por isso os momentos passados na tua companhia são sempre agradáveis. Mesmo com aquelas coisas menos boas de que a gente se queixa, como a saúde a pregar partidas, ou as injustiças de que somos alvo, tu consegues sempre dar a volta e torna-las coisas boas, associando-as a uma boa anedota.

Mas não vamos já diretos para o café. Primeiro passamos pela Ferrada, a ver se ainda lá para alguma daquelas moças que iam buscar água e quebrar corações. Depois passamos pela igreja, não vá o padre Guerra ainda estar por lá a desancar os que troçavam dele por ter mulher e filhos, mas que lá se foram refugiar numa noite de inverno, quando as estrelas começaram a bailar no céu.

Se calhar não vamos a mais lado nenhum, pois somos muitos e que isto de por a malta a andar é muito complicado. Sabes que estamos aqui mais de uma centena? Pois é verdade, todos os do teu curso de entrada na Academia Militar, mais umas dezenas largas que tu foste transformando em amigos, com esse teu jeito especial de tratar as pessoas. A culpa é tua, pois convenceste-nos que as festas de Sta Luzia eram uma coisa do outro mundo e ninguém quis faltar. Imagina que até vieram todos aqueles que já nos deixaram e de quem tu escreveste a dedicatória, transformando folhas vazias em páginas de amizade, ilustradas com aventuras que só a tua memória prodigiosa seria capaz de reter.

Pois estamos todos aqui, Durbas, para te prestar homenagem! Estamos aqui para guardar a tua memória e reter os bons momentos que passámos juntos. E estamos aqui para testemunhar a vida que ajudaste a colorir com a tua força e a tua alegria!


Até sempre! 

Nós

                                               50 anos depois 2017 -a geração de cadetes de 1967

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

1 - LIBERDADE E CIDADANIA * A pressa...


NA PALAVRA É QUE VOU ...
.

A pressa...



O Flávio passou agora mesmo por mim. Iluminou a face com um sorriso e lá foi pedalando. Já nem se apercebeu do meu aceno que era um cumprimento e um adeus. Esta gente anda sempre com pressa. Não sei se é a Vida que apressa esta gente, se é esta gente que apressa a Vida. Num contraponto indiferente, o dia continua a ter 24 horas. E tanto quanto posso observar, a natureza mantém o mesmo ritmo. A natureza onde os manobrismos humanos (ainda?) não interferem para acelerar, retardar, alterar, modificar o seu ancestral modo de ser e estar.

Lá mais à frente, a estrada se cruza com um ribeiro. O Flávio já deve ter passado a ponte. E quero crer que, com a pressa, nem olhou o leito deste pequeno curso de água.

É, com certeza, um ribeiro igual a tantos outros que serpenteiam a planura. Eu gosto muito de arroios, de ribeiros e ribeiras, de rios e de mar. É o fascínio da água. Este meu fascínio me leva a ficar horas e horas olhando este ou aquele curso de água, a tentar imaginar percursos evadidos, a criar exaltadas ousadias, a recusar destinos parados de prostração e renúncias. Ora foi num dia que nem sei precisar que vi estupefacto, neste mesmo ribeiro, uma represa canhestramente erguida. Estupefacto porque a represa não tinha a finalidade transitória de aproveitar água para rega. Olhando mais atentamente, percebi: o ribeiro, naquela área, atravessa uma propriedade rústica e a represa nada mais é do que um passadiço para um tractor agrícola. Com certeza, o passadiço poderia ter usado manilhas na estrutura para deixar a água livremente correr. Mas o autor do passadiço não pensou nisso ou não quis pensar. E em nome do utilitarismo estreito e de um inaplicável direito de propriedade, cortou uma linha de água que é um bem público.

E estas coisas e tantas outras existem e persistem anónimas por vontade de quem não vê, de quem não quer ver…

Eu sei, é a pressa… Mas serão seguramente os apressados da Vida, serão os distraídos da Vida, serão os indiferentes da Vida os primeiros a apontar o indicador acusador aos outros, aos tais outros que tinham o dever de ter visto e não viram; que tinham o dever de ter previsto e não previram; que tinham o dever de ter agido e não agiram…

O Flávio passará por aqui, no regresso, pela tardinha. Hoje já não o verei, está arrefecendo e eu tenho de resguardar a minha anciania.


José-Augusto de Carvalho
Alentejo, 5 de Janeiro de 2018.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

"E DIGAM LÁ SE PODE OU NÃO FALAR-SE O FADO "



"Dorbalino partiu, mas deixou alguns textos que irei publicando, e que muito o caracterizam. Abraço camarada Dorbalino "



E agora a sério ( embora possa parecer piada mas garanto que é verdade tudo o que vos vou contar…)

Era o mês de Março do ano da graça de 1973…( da graça digo eu , foi nesse ano, mês de Abril que casei…pela primeira vez…).

 Eu tinha acabado de aterrar ( dia 7 de Março ) chegado de Angola…tinha pedido para ser colocado no Entroncamento,  mas enquanto não saía a colocação fiquei na EPAM…no segundo dia, chegando à sala de Oficiais vejo, para meu espanto, um aspirante miliciano que tinha sido meu colega de Liceu ( na Figueira…) de seu nome LASMC ( não escrevo os nomes todos por uma questão de reserva, mas é facilmente identificável…).

 Então, como vais? O que fazes por aqui? E a conversa fluiu como é normal entre dois amigos. Como ele tinha ido para Direito e na EPAM havia  especialidade de LD pensei que seria essa a razão da sua colocação no Lumiar…mas não….. ele contou-me que , ainda estava a frequentar o curso, quando fora chamado para o SMO…foi para Mafra onde fez, ou tentou fazer, a recruta.

 Mas aconteceu uma situação inesperada: ele não conseguia acertar o passo. Por mais tentativas que ele e os instrutores fizessem não conseguia marchar…não acertava o passo…questão complicada que o pessoal da EPI resolveu, enviando-o para a EPAM. Eu fui para a CDMM e ele por cá ficou. 

A vida separou-nos…fui para Timor…entretanto, deu-se o 25 de Abril…já nos finais dos anos 70, necessitando de um documento do DRM de Coimbra um amigo disse-me , com toda a naturalidade “ Telefonas ao L A e ele resolve isso de imediato” “ Ao L A?” perguntei espantado.. “ Então, mas ele não acertava o passo…” “ Pois, mas deu-se o 25 de Abril e ele ficou na tropa … veio para Coimbra , colocado no DRM ( penso que por nesse local não ser preciso marchar ) e acabou o curso de Direito, e lá ficou…” 

Claro que nos reencontrámos …ele foi e é um defensor acérrimo do 25 de Abril ( só lhe fica bem)…passou à Reserva e Reformou-se como Ten. Coronel do Exército Português…Porque não era capaz de acertar o passo..

Parafraseando João Villaret “ E digam lá se pode ou não falar-se o fado…”

Com um abraço incluindo ao LA do Dorbalino